sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Reprodução nos seres vivos

Introdução

A sequência de acontecimentos que se verificam na vida de um ser vivo, desde que se forma até que produz a descendência, é o ciclo de vida. Existem dois tipos fundamentais de processos de reprodução, reprodução assexuada e reprodução sexuada. A reprodução assexuada tem um processo muito simples porque formam-se novos indivíduos apartir de um só progenitor, não havendo fusão de gâmetas. Na reprodução sexuada já tem um processo mais complexo porque os novos indivíduos são originados apartir de uma célula que resulta da fusão de dois gâmetas.


Desenvolvimento

Os seres procariontes e a maioria dos seres unicelulares eucariontes reproduzem-se assexuadamente. Na reprodução assexuada os descendentes são, em regra geral, geneticamente idênticos entre si e também ao progenitor. Os organismos geneticamente idênticos constituem clones, podendo se chamar a estes processos de reprodução assexuada como processos de clonagem. Este tipo de reprodução tem vantagens porque é um processo rápido e com pequeno despêndio de energia; assegura a formação de clones; todos os indivíduos podem originar descendentes; e um só indivíduo pode colonizar habitats de condições semelhentes. Mas a reproduçao assexada também tem desvantagens porque assim não favorece a evolução de espécies; a diversidade de indivíduos produzidos é práticamente nula; e existe uma difícil adaptação dos novos indivíduos a mudanças do meio.
A reprodução sexuada é o tipo de reprodução mais comum no mundo vivo. Nesta reprodução está presente também a reprodução sexuada porque implica que ocorra a fusão de dois gâmetas, o gâmeta femenino e o masculino, ou seja, é necessário que se verifique a fecundação.